Home | Cultural | Literatura | Geração 'Beat' | Ian Curts
Ian Curts
Porta Voz do fim do século

Ian Curts


Por: Pedro Kalil

É bem difícil imaginar literatura nos últimos 20 anos, o que foi criado de novo e o que realmente foi importante. Depois duma chuva de idéias, duma revolução de costumes e cultural, é dificil se conformar com um ócio artístico. Durante todo um século, aconteceram revoluções e revoluções e nos últimos 20 anos, nada de realmente novo surgiu.

Mas um cantor, com toda a sua dor, mártir de como sentir o vazio do fim de século e de como sucumbir-se, na dor de uma pós-revolução, ao tédio e ao desespero num canto frio do mundo: já se falou muito sobre Ian Curts, cantor do grupo Joy Division, sobre sua dor, sobre sua voz e como o grupo influenciou em toda uma musicalidade que surgiu dali em diante (Echo and The Bunnymen, U2, Radiohead). Sua influencia é bem nítida até no Brasil (de onde você acha que Renato Russo tirou sua danã mexendo os braços?), mas muito pouco se falou da sua importância literária. Ele não é o tipo de escritor pronto para ganhar o prêmio nobel, mas é sim, uma pessoa que expressou nos seus escritos, o tédio do fim do século e a dor duma pós-revolução. É certo que muitas pessoas já falaram sobre isso, mas as suas poesias, clinicamente perturbadas, são o reflexo da depressão, do vazio e do medo.

Seus trabalhos nunca foram publicados em forma de livros e sim em discos, lançados com seu grupo. Mas por que não dizer que ele é um grande escritor? Acho que um escritor não se resume a quem lança livros e sim a quem escreve, ou ao menos pensa e usa de diferentes formas para expressar aquilo que sente. Ian Curts usou a sua voz e as músicas de sua banda. Seus tratados sobre sucumbir, seu niilismo e seu rancor diante deste um mundo, estão contidos em suas expressões emocionadas, reflexo da sua alma e do seu desespero.

O disco closer (ou livro, ou chame de como quiser) é a maior de suas obras. Versos como "Existence well what does it matter? - Iexiste on the best terms I can - The past is now part of my future - The present well is out of hand - Heart and soul, one will burn" (Existência, bem, o que isso importa? - Eu existo do jeito melhor que eu posso - O passado agora é parte do meu futuro - O presente, bem, esta fora de controle - Coração e alma, um vai queimar), são encontrados ali, junto a uma música sombria, amargurante e desesperada.

Ian Curts foi alguém que sofreu grandes dificuldades em sua vida: casou cedo, teve uma filha, depois descobriu que tinha ataques epilépticos, trabalhou num sanatório, viu a loucura em seus olhos, entre outras coisas. No dia 20 de maio de 1980, depois de assistir a um filme do Herzog, chegou em casa, bebeu os últimos dedos do conhaque e escutando o The Idiot do genio Iggy Pop, se enforcou na cozinha... isso é apenas um reflexo de uma dor universal, com a qual uma pessoa normal não soube lidar. Sua poesia ainda ecoa pelo mundo, sua dor ainda é sentida e sua alma, bem... fiquem com os versos dele: "Love will tear us apart".

INSIGHT (Percepção)

Guess your dreams always end, they don't rise up just descend
Tenha certeza que seus sonhos sempre acabam, eles não crescem apenas caem

But I don't care anymore, I've lost the will to want more
Mas eu não ligo mais, Eu tenho perdido a vontade de querer mais

I'm not afraid not at all, I watch them all as they fall
Eu não estou com medo, não absolutamente. Eu vi eles todos, como eles caem

But I remember when we were young
Mas eu lembro de quando éramos jovens

Those with habits of waste, their sense of style and good taste
Aqueles com hábitos de desperdício, seu senso de estilo e bom gosto

Of making sure you were right, hey, don't you know you were right?
De ter certeza você estava certo, hey, Você não sabia que estava certo?

I'm not afraid anymore, I keep my eyes on the door
Eu não tenho medo mais, Eu mantenho meus olhos na porta

But I remember
Mas eu me lembro

Tears of sadness for you, more upheaval for you
Lágrimas de tristeza por você, mais reviravolta por você

Reflects a moment in time, a special moment in time
Reflete um momento no tempo, um momento especial no tempo

Yeah, we wasted our time, we didn't really have time
Yeah, nós gastamos nosso tempo, nós não tínhamos tido tempo

But we remember when we were young
Mas nos lembramos quando éramos jovens

And all God's angels beware, and all you judges beware
E todos os anjos de Deus olham por, e todos os juízes olham por

Sons of chance take good care, for all the people out there
Filhos do acaso tenham bastante cuidado, para todas as pessoas fora daqui

I'm not afraid anymore, I'm not afraid anymore
Eu não estou com medo mais, eu não estou com medo mais.

Voltar página Geração Beat

Quer falar com a gente? (31) 3281.1196 - Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil / estudio@caleidoscopio.art.br || Produção: Caleidoscópio Multimídia