Home | Cultural | Música | História do Rock no Cinema | Bob Dylan
filme: Esta terra é minha terra (Bound for Glory)

filme: No Direction Home – Bob Dylan

filme: Don´t Look Back, Bob Dylan

documentário: Eat the Document - Bob Dylan

filme: Pat Garrett & Billy the Kid, participação de Bob Dylan

filme: The Last Waltz

filme: Wonder Boys

Bob Dylan


Texto: Rober Machado
Colaboração: site Omelete


A carreira de Robert Allen Zimmerman, mais conhecido como Bob Dylan, é uma das mais importantes do cenário musical. Começou a tocar como músico folk em clubes de Minneapolis, em 1959. No ano seguinte, mudou-se para Nova York. Nessa época, fazia visitas constantes ao hospital onde estava internado seu grande herói, o músico Woody Guthrie.

Inspiração para a maioria dos músicos folk, Guthrie optou por levar a sua música diretamente para trabalhadores. De forte temática política e social, denunciava a exploração e a ganância dos patrões, defendendo os direitos dos trabalhadores. Em 1976, foi produzido um filme sobre sua vida, enfocando o período da década de 30 e 40, chamado Esta terra é minha terra (Bound for Glory), dirigido por Hal Ashby. O filme ganhou os Oscar de fotografia e trilha sonora. Guthrie seria interpretado pelo cantor Tim Buckley, que acabou falecendo antes das filmagens. David Carradine acabou herdando o papel.

Bob Dylan assinou o contrato para gravar o seu primeiro disco em 1961. O período que vai deste momento até 1966 é retratado no recém-lançado documentário No Direction Home – Bob Dylan, dirigido por Martin Scorsese. Com muitas entrevistas e imagens raras, o filme acompanha a trajetória de Dylan, do folk ao rock, desde suas primeiras apresentações até a consagração. Para realizar o documentário, Scorsese não se encontrou com Dylan, para evitar que o artista interferisse na obra; só foram feitas entrevistas com pessoas ligadas ao cantor.

D. A. Pennebaker, um dos mais importantes documentaristas da história do rock, realizou um documentário sobre a turnê inglesa de Dylan em 1965 chamado Don´t Look Back, lançado em 1967. Mostra entrevistas espontâneas, improvisos e muitas canções. Conta com as participações de Joan Baez e Donovan.

Em 1972, foi a vez de Bob Dylan lançar um filme dirigido por ele mesmo. Eat the Document relata a sua tumultuada turnê européia de 1966, acompanhado pela The Band. Foi a época em que Dylan adotou a guitarra e se enveredou pelo caminho do rock, sendo chamado de traidor pelos fãs de folk. Filmado com câmera na mão, apresenta algumas músicas, uma em parceria com Johnny Cash, cenas de bastidores, jam sessions em quartos de hotéis, um material que interessa mais aos fãs do que ao público em geral. O que mais chama a atenção é uma seqüência de mais de 10 minutos, um outtake dentro de uma limusine que mostra um encontro entre Dylan e John Lennon. Os dois, sob evidente efeito de drogas, estão bem longe de sua imagem pública de pessoas inteligentes.

Dylan participou do western Pat Garrett & Billy the Kid, de 1973, no papel de braço direito de Billy, interpretado por Kris Kristofferson. Além de atuar, Dylan também compôs a trilha sonora, que inclui a música "Knocking on Heaven's Door". Para o papel de Billy, inicialmente estava escalado o cantor James Taylor, mas isso foi alterado quando Sam Peckinpah assumiu a direção. O filme foi lançado com muitos cortes e sem aprovação do diretor. A versão exibida na televisão incluiu algumas cenas, mas cortou outras de violência e nudez. Somente em 1989 foi lançada uma versão remontada, próxima da intenção original de Peckinpah, mas que não possui a famosa canção de Dylan. Essa versão está prometida para ser lançada em DVD em 2006.

Em 1975, Dylan fez uma turnê chamada The Rolling Thunder Revue e decidiu filmá-la e posteriormente misturar as cenas das apresentações com um enredo. Além de atuar e dirigir, teve a ajuda do escritor, dramaturgo, ator e diretor Sam Shepard no roteiro. No filme, chamado Renaldo and Clara, há participações de Joan Baez, Ronnie Hawkins, do poeta Allen Ginsberg e do lutador de boxe Rubin “Hurricane” Carter. O que era para ser algo simples e despretensioso, sobre o relacionamento de Dylan com as mulheres, acabou virando um grande projeto. Dylan inseriu diversas experimentações no filme, cenas aparentemente sem sentido. Quando foi lançado, em 1978, a crítica massacrou a produção de mais de 4 horas de duração. Depois, foi lançada uma versão com 2 horas, praticamente sem a parte narrativa e mantendo os números musicais, que era o que o filme tinha de melhor.

Somente em 1987 Dylan voltaria a atuar num filme. Dessa vez foi no grande fiasco Hearts of Fire, o último filme dirigido por Richard Marquand, de Star Wars - Episódio VI - O Retorno de Jedi. O longa conta a história de um velho rock star que ajuda uma jovem cantora, que acaba deixando-o por um empresário inglês (Rupert Everett). O filme ficou em cartaz no máximo duas semanas. O responsável pelo roteiro foi Joe Eszterhas, que tem uma carreira pontuada por sucessos e fracassos em igual escala, como Flashdance, Instinto Fatal, Showgirls e Jade.

Dylan voltou a escrever um roteiro em 2003 e também atuou em A máscara do anonimato (Masked and Anonymous). A direção é de Larry Charles, mais conhecido como roteirista e produtor de diversas séries de televisão, como Seinfeld, Mad About You e The Tick. O filme conta a história de produtor musical desonesto que tem a idéia de realizar um concerto beneficente com objetivos questionáveis, para isso conta com presença de um astro do rock recém-saído da prisão (Dylan). Na produção há grandes astros (a maioria trabalhou de graça só para estar num filme com Dylan), como Jeff Bridges, John Goodman, Penélope Cruz, Jessica Lange, Val Kilmer e Ed Harris. Muito criticada, a produção passou despercebida, mas a trilha sonora vale a pena. Basicamente são composições de toda a carreira de Bob Dylan, incluindo algumas inéditas. Também traz alguns grupos estrangeiros interpretando suas canções, como o italiano Articolo 31 cantando "Come Una Pietra Scalciata" ("Like a Rolling Stone").

"On A Night Like This"


Quando Dylan empunhou pela primeira vez uma guitarra num show, estava acompanhado pelo The Hawks, a banda de apoio de Ronnie Hawkins. Depois, a banda foi rebatizada como The Band, gravou alguns discos junto com Dylan e seguiu em carreira própria. Fez algum sucesso, principalmente com a canção "The Weight", mas sempre foi mais admirada por músicos e pela imprensa do que pelo público propriamente dito. Em 1976, os integrantes resolveram encerrar as atividades da banda e também filmar o seu último show. Para comandar a câmera chamaram o cineasta Martin Scorsese. Esse show contou com convidados ilustres. Além de seus mentores - Hawkins e Dylan -, participaram Eric Clapton, Neil Young, Van Morrison, Muddy Waters, Joni Mitchell, Ringo Starr e Neil Diamond. Posteriormente, foram gravadas três canções em estúdio e alguns depoimentos dos integrantes da banda. O guitarrista Robbie Robertson comenta que o grupo terminou porque todos estavam cansados dessa rotina de turnês que durava mais de quinze anos. Acabou porque era o momento de acabar. Quem dera outras bandas tivessem o mesmo bom senso. O belo filme resultante, The Last Waltz, foi lançado em 1978.
Eles reuniram-se novamente durante a década de 90. Sem Robbie Robertson.

"Blowin' in the Wind”


Além dessas suas participações na frente das câmeras, as músicas de Bob Dylan estiveram em dezenas de filmes. Há também o caso de um longa tratar do mesmo tema que uma de suas mais famosas canções, caso de Hurricane – O Furacão (The Hurricane, 1999), com Denzel Washington, sobre a história do lutador de boxe Rubin “Hurricane” Carter, condenado injustamente à prisão. Logicamente, a canção "Hurricane", de Dylan, teria que estar presente na trilha sonora.

Dylan também foi vencedor do Oscar de melhor canção por "Things Have Changed", do ótimo Garotos Incríveis (Wonder Boys, 2000), com direção de Curtis Hanson, e que tem no elenco Michael Douglas, Tobey Maguire e Katie Holmes. A edição em DVD traz o videoclipe da música nos extras.

Foi anunciado para 2006 um longa chamado I'm Not There: Suppositions on a Film Concerning Dylan, do diretor Todd Haynes, mas as filmagens ainda não começaram, segundo as últimas notícias. O projeto deve tratar da carreira de Dylan por meio de sete atores diferentes, cada um interpretando um aspecto de seu trabalho, sendo que um deles deve ser uma mulher negra. Alguns nomes já estão confirmados no elenco são Christian Bale, Cate Blanchett, Adrien Brody, Colin Farrel e Richard Gere. Dylan já deu sua aprovação ao projeto e liberou a utilização de suas canções.

"The Times They Are A-Changin”


Os filhos de Dylan também se aventuram pelo cinema. Jakob, o vocalista do The Wallflowers, tem uma participação em Rugrats – O Filme, dublando um recém-nascido numa cena musical na maternidade. Mas ao seu lado estavam outros astros do rock, como Iggy Pop, Patti Smith, Beck, Lenny Kravitz, Laurie Anderson, Gordon Gano (Violent Femmes) e os integrantes do The B-52's.

O outro filho de Dylan, Jesse, está seguindo a carreira por trás das câmeras. Dirigiu três filmes até momento, todos eles comédias, sendo que o maior sucesso foi American Pie 3 – O Casamento. Prova cabal que talento não é hereditário.

No Direction Home - Bob Dylan (DVD Duplo)


Sinopse:
O prestigiado diretor Martin Scorsese, indicado para o Oscar® (Os Bons Companheiros, 1990), já mostrou mais de uma vez ter intimidade com o rock. Agora ele aceita o desafio de desvendar um mito e traz a extraordinária trajetória de Bob Dylan, desde suas raízes no Minnesota, suas primeiras aparições nas cafeterias do Greenwich Village, até sua tumultuada ascensão ao estrelato em 1966. Vários depoimentos permeiam o documentário que traz algumas cenas raras, nunca vistas, tanto de apresentações ao vivo quanto de entrevistas, com o recluso astro. Imagens preciosas para qualquer fã de rock.

Quer falar com a gente? (31) 3281.1196 - Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil / estudio@caleidoscopio.art.br || Produção: Caleidoscópio Multimídia