Home | Entretenimento | Exposição | 100 anos de Marcier
Cascata de Televisões

100 anos de Marcier


O sagrado também está presente na obra de Emeric Marcier. Romeno naturalizado brasileiro, o pintor era judeu e se converteu ao catolicismo. Inclusive, foi depois de pisar em solo mineiro que o artista despertou para a arte sacra.

Não por acaso, a curadoria, assinada por Edson Brandão, colocou em destaque telas das vias-sacras e da Pietá (Nossa Senhora da Piedade). Os trabalhos estão incluídos na seção “O Coeli” (céu, em latim). “O céu é onde estão as subjetividades da vida e de Cristo, das cenas bíblicas”, diz.

Ainda conforme o curador, Marcier abordava Cristo não só para elevar a religião, mas, também, para fazer metáforas com o homem. “Quando ele pinta Cristo, fala do homem comum e do seu calvário na terra”, esclarece.

Já na seção “Terrae” (terra, em latim), foram reunidos trabalhos como paisagens das históricas Tiradentes, Ouro Preto e Mariana, além de pinturas de figuras humanas.

Ao todo, são cerca de 70 obras. As pinturas em afrescos, porém, ficaram de fora. “Não tivemos como trazer essas coleções para a galeria. Qualquer recursos seria um ‘fake’, porque o afresco é fluído, vivo. Fomos honestos em não tentar reproduzir essa arte”, justifica o curador.

Ainda assim, Brandão considera que a exposição fez “justiça a Marcier”, criticado por ter sido um alienado por não fazer conexão com sua época. “Isso é mentira. Durante o regime militar, ele fez denúncias, inclusive sobre as torturas, ao pintar quadros como São Sebastião do Rio de Janeiro, mostrando o santo sendo eletrocutado”, exemplifica.

A mostra permanecerá em cartaz até janeiro do ano que vem como forma de celebração dos 100 anos de nascimento de Marcier completados neste mês. “Marcier foi um caso à parte na arte, porque nunca se filiou a correntes como a cubista ou surrealista. Ele criou uma linguagem própria. Era um pintor sacro, mas não devocional. Era um estrangeiro no Brasil e um brasileiro na Europa, como o próprio se definia”, finaliza Brandão.

Exposição: 100 anos de Marcier
Local: nas galerias Arlinda Corrêa Lima e Genesco Murta
Endereço: Avenida Afonso Pena, 1.537, Centro - Belo Horizonte - MG
Data: 25/11/2016 a 15/01/2017
Horário: Terça a sábado das 9h30 às 21h | Domingo das 16h às 20h
Ingressos: Entrada franca
Informações: (31) 3236-7400

Quer falar com a gente? (31) 3281.1196 - Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil / estudio@caleidoscopio.art.br || Produção: Caleidoscópio Multimídia